[Resenha] Apenas entre Apaixonados: nome genérico esconde um dorama emocionante

Just Between Lovers (2018), ou Rain or Shine, é um drama da JTBC de 16 episódios que inspirou-se em uma história verdadeira da queda de um shopping em 1995 na Coreia do Sul. Por isso mesmo, acredito que o nome desse dorama não faz jus a metade do que essa trama entrega, e está lá no topo da minha lista pessoal, como um dos melhores dramas de todos os tempos.

Para quem assistiu Chocolate (2019), mais recentemente na Netflix, essa história não é estranha. Porém, enquanto Chocolate trabalha com vários temas dramáticos simultaneamente, em Just Between Lovers, que foi feito um ano antes, o foco é exclusivo na tragédia e retrata a vida de sobreviventes e parentes após os acontecimentos de uma maneira bastante profunda e realista.

O roteiro é de Yoon Bo Ra, que até a publicação desta resenha infelizmente não lançou nada após essa jóia. A direção é do Kim Jin Won, de “Meu País”.

Elenco

Poucos personagens, trama focada nos protagonistas e em um único tema são um dos pontos altos do dorama.

A atuação de Won Jin A (“Melting Me Softly” e “Life”) na protagonista, Ha Moon Soon, é simplesmente o máximo, sendo possível sentir a dor da personagem durante seus momentos de crise. Ela é uma arquiteta que perdeu a irmã mais nova, que era não só a favorita da família mas também uma futura modelo promissora. Moon Soon sofre com a culpa de ter sobrevivido, sendo que era a irmã mais “inútil”, e agora convive com o alcoolismo da mãe, tentando esconder seus sentimentos e traumas (como o medo de andar de elevador) para não causar tumultos. A história acontece quando ela acaba envolvida na construção de um prédio no local onde houve o acidente. Uma curiosidade: a atriz passou num teste para o papel que tinha outas 120 candidatas. A menina merece muito.

Lee Gang Do é o personagem do Junho (do grupo 2PM e premiado pelo dorama “Good Manager”). Gang Do é um rapaz que sonhava em ser jogador de futebol, mas além de perder o pai, no acidente, ele quebrou a perna e nunca conseguiu recuperar-se. Agora, ele vive como um cachorro vira-lata, sem objetivos e convivendo com as sequelas. Ele é um personagem complexo, o típico bad boy, mas com motivos mais do que compreensíveis para isso. Ele é um mocinho muito apaixonante.

Lee Ki Woo (de Doctors) é Seo Joo Won, o arquiteto bonitão responsável por coordenar a construção de um edifício no antigo local do acidente. Além disso, ele está completamente envolvido na situação porque seu pai foi um dos arquitetos responsáveis pelo projeto do prédio que caiu, por negligência. Ele também convive com a sombra de seu passado e, agora, vê uma das sobreviventes em sua própria equipe, por quem começa a nutrir sentimentos.

Kang Ha Na (a princesa invejosa de Scarlet Heart) é Jung Yoo Jin, a lider de relações públicas da empresa de Seo Joo Won, por quem é perdidamente apaixonada. Gosto como humanizaram a “vilã” e trataram de trazer os motivos dela para a cena, além de ser uma forma de mostrar um outro lado de Seo Joo Won também.

O elenco de apoio, especialmente a mãe da protagonista (Nam Gi Ae, de “Mother” e “Flower of Evil”), a senhorinha dos remédios (Na Moon Hee) e os dois atores mirins que fazem a versão mais jovem dos protagonistas – Park Si Eun (Crowned Clown, Mysstic Pop Up Bar, Queen For Seven Days e 30 But 17) e Nam Da Reum (A Piece of Your Mind, While You Were Sleeping, Hotel Del Luna) – são excelentes e dão muito peso à produção.

Trilha sonora

Uma das trilhas sonoras mais belas dos doramas, que já te deixam pensativo e com lágrimas nos olhos. Algumas ballads clássicas, e alguns indie folk, com letra em inglês, que dão os tons frios de nostalgia e reminiscência, com um toque de esperança e luz no fim do túnel – a “Where You” eu acho muito parecida com a “Mad World”. É assim que soam as músicas de Just Between Lovers.

Conclusão: doramão de alto nível

Por ser tão focado em um único tema, é capaz de explorar muitas camadas que estão por trás de um fato. A história dá nome, cores e rostos aos números que são estampados em uma notícia de tragédia, usando uma notícia real como pano de fundo de uma trama que, de tão bem construída, parece verídica – tão verdadeira que você acredita que esses personagens existem até mesmo quando assiste à trama de Chocolate.

Somente Entre Apaixonados é capaz de abordar com profundidade a luta contra transtornos mentais, como a depressão, o Transtorno de Estresse Pós Traumático, e os efeitos que atrapalham o dia a dia dos pacientes, além do preconceito pelo qual essas pessoas passam, já que o acidente “aconteceu há tanto tempo”, mas ninguém entende o quanto aquilo faz parte de você. Qualquer pessoa que tenha alguma condição de saúde mental irá amar este dorama e sentir-se abraçado e representado com sensibilidade e respeito. Quem simplesmente quer se acabar de chorar num dorama, este é definitivamente para você, mas se você está sensível, de verdade, não assista, porque o clima é denso.

Existe uma trama de romance, mas é uma troca de lutas, defeitos, medos e pequenas forças que fazem com que os personagens sejam capazes de se apoiar em conquistas, além de transbordarem empatia um com o outro, já que viveram na pele tudo que aconteceu. É um amor necessário que, aí sim, traz transformações possíveis “apenas entre apaixonados”.

O final é bastante satisfatório, um pouco triste, é verdade, mas coloco esse drama lá no alto da minha lista de favoritos. Como recomendação para quem quer ver outros doramas que tratam da tragédia de Sampoong, Chocolate (2019), atualmente no Netflix, também fala sobre isso, embora não seja tão focado e tenha um estilo de narração bastante diferente.

Para a questão psicológica, recomendo It’s Okay That’s Love e Tudo bem não ser Normal, ambos com personagens com traumas e uma história focada na resolução desses conflitos, embora as duas tenham um ar muito mais leve.

Minha nota: ⭐⭐⭐⭐⭐

6 comentários em “[Resenha] Apenas entre Apaixonados: nome genérico esconde um dorama emocionante

Adicione o seu

    1. Ja viu o Tudo bem não ser Normal? É maravilhoso, um dos meus favoritos e tambem com doses de lágrimas! O pessoal acha Chocolate bem parecido também. 🙂 Outro que eu acho que pode te trazer um clima parecido é Enquanto Você Dormia

      Curtir

  1. Eu comecei a assistir este drama há algum tempo mas , como você mesmo coloca, meu momento não era dos mais adequados para a trama. Sua resenha trouxe novamente a motivação para retomá-lo. No momento vivo intensamente a emoção de Its Okay not to be okay mas, em algum instante, voltarei ao drama em questão. Parabéns, gostei !

    Curtido por 1 pessoa

    1. Poxa que legal, bom saber que você dará uma nova chance por causa da resenha! Depois conta se gostar o dia que ver. Eu também estou apaixonada por It’s Okay, conto os dias para novos episódios.

      Curtir

Deixe uma resposta para eunicecleveland Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: