[Resenha] Passarela de Sonhos: O sonho que deu (quase) todo errado

Passarela dos Sonhos (Record of Youth, título original) foi um dos últimos trabalhos estrelado por Park Bo Gum (Moonlight Drawn By Clouds, Reply 88) antes de seu alistamento ao serviço militar obrigatório sul-coreano. Escrito por Ha Myung Hee, autora de Temperature of Love, Doctors e outros; e dirigido por Ahn Gil Ho, diretor de Watcher, Memories of Alhambra, dentre outros, o dorama foi dividido em 16 episódios que eram transmitidos pela tvN às segundas e terças-feiras dos meses de Setembro e Outubro de 2020. Seu último episódio foi exibido dia 27 de Outubro, com um pico de audiência consistente e regular para produções desse horário.

Família Sa

Em sua história, Sa Hye Jun (Park Bo Gum) é um jovem adulto que está cada vez mais próximo dos trinta anos de idade. Vindo de uma família de classe média, onde todos trabalham e contribuem na renda da casa, ele enfrenta vários bloqueios econômicos e sociais no caminho de seu sonho de se tornar um ator. Trabalhando há sete anos como modelo e, há um tempo considerável, se envolvendo e sonhando com testes para papéis secundários em filmes e novelas, sua carreira chegou num nível que não evolui mais por simples falta de interesse de seu manager (agente) vigarista, bem como falta de influência de sua família. 

Família Won

Por outro lado, seu melhor amigo, Won Hae Hyo, interpretado por Byeon Woo Seok (Flower Crew: Joseon Marriage Agency, Search: WWW), é um jovem de família rica e influente. Estudou durante a adolescência com Hye Jun e, juntos, ingressaram na vida de modelo. Graças à sua mãe super protetora e grande financiadora de seus próprios desejos, Hae Hyo nunca teve que passar por nenhum dos obstáculos que Hye Jun encontrou ao longo da carreira. Sempre foi o centro das atenções, o modelo mais popular e aquele que mais tinha comerciais rentáveis e papéis em novelas. Apesar de tudo, essa competição silenciosa nunca quebrou a amizade e parceria deles. 

Won Hae Hyo e Sa Hye Jun.

Durante uma última campanha como modelos, eles são apresentados à talentosa maquiadora An Jeong Ha, interpretada por Park So Dam (Parasita, Cinderela e os Quatro Cavaleiros). Jeong Ha trabalha num elegante e luxuoso salão de beleza que, vez ou outra, é contratado para o backstage de eventos de moda. Além de maquiadora, ela também tem um canal no youtube e, secretamente, nutre um amor platônico de fã por Sa Hye Jun

Um enredo tranquilo, não é mesmo? Já dá para criar algumas expectativas do que o dorama vai trazer, bem como simpatizar ou não com os perfis de cada um dos protagonistas. Pelo menos é o suficiente para aguçar uma mínima curiosidade para dar uma chance ao episódio um.

Antes de dar continuidade ao texto, deixarei alguns avisos:

Minhas críticas, sejam elas positivas ou negativas, não são direcionadas a nenhum dos atores. Elas são frutos da história que consumi. Acredito, sinceramente, que os atores fizeram um trabalho muito bom, dentro dos limites que o roteiro possibilitou. Infelizmente, o carisma deles não foi  o suficiente para amenizar minha decepção com os desfechos e andamento do dorama. Porém, eles fizeram o melhor que podiam.

Como já deu para perceber, eu realmente me frustrei, principalmente com o final, e a partir do tópico seguinte, conterá muitos spoilers avulsos. Então, se você, caro leitor, não deseja tomar spoiler, PARE aqui e assista ou deixe o dorama de lado. 

Passarela dos Sonhos está disponível na netflix!

O início de um sonho (episódios 1 – 10)

Não nutria grandes expectativas pelo dorama quando o escolhi aleatoriamente no catálogo da Netflix. Era uma novidade da semana, tinha aquele resuminho bem básico, que não dá para saber de nada, porém, como minha mãe e eu somos parceiras de doramas, começamos a assistir. 

O primeiro episódio passou uma sensação ambígua. Ao mesmo tempo que a narrativa parecia um pouco cansativa, no fim das contas, deu para perceber que era só uma questão de apresentação do cenário e seus núcleos. Logo de cara, dava para criar certos ranços por alguns parentes e a nutrir empatia, simpatia e amor por outros personagens. O ponto foi o final que aguçou a curiosidade para assistir ao capítulo seguinte que, felizmente, já estava disponível. 

Apesar do primeiro ter sido esquisito, a trama se mostrou envolvente. E, certamente, ele dá pelo menos um motivo para que o público goste e se apegue. Afinal, quem nunca se sentiu injustiçado na vida, apesar de dar o seu melhor? Quem nunca se sentiu extremamente sufocado e perdido mediante tantas cobranças e dedos apontados na sua direção? Quem nunca teve um sonho? E quantos acabaram deixando os mesmos para trás porque foram desestimulados ou impedidos? Quem nunca errou ao apostar tudo por um sonho? E se não por questões internas, quem nunca desejou conhecer seu(sua) ídolo(a)? E, de quebra, se apaixonar por ele(a) e ser correspondido(a)? 

Pois bem, o dorama foi capaz de plantar várias sementes em suas primeiras semanas. 

Sa Hye Jun era apresentado como um jovem adulto responsável, bom filho, bom amigo, bom crush, excelente neto! Um rapaz ético, dedicado, disciplinado, incorruptível, empático. De muitos, muitos modos, ele era perfeito demais para ser real. Até mesmo aqueles que o cercavam, se surpreendiam com seu jeito, sua honra, sua dignidade. Era muito injusto que ele sempre tivesse alguém sabotando ou impedindo que seu talento fosse revelado. Ele tinha nascido para ser um astro! 

Sa Hye Jun antes da fama.

Apesar de ser muito perfeito, por algum motivo incrível (a atuação do Park Bo Gum), ele não ficou um personagem enjoado. Ele foi capaz de incitar aquela torcida para que ele superasse os obstáculos e conseguisse chegar onde queria. 

Fora isso, ele também tinha a incrível parecia com seu avô, Sa Min Gi. Interpretado pelo veterano Han Jin Hee, o vovô era outra fonte de inspiração. Apesar de estar na casa dos 80 anos, ele ainda é um homem ativo, vigoroso e bonito. Todos apontam que o neto herdou a beleza e o talento dele e isso irritava demais o pai de Hye Jun, filho de Min Gi. O idoso tinha um péssimo relacionamento com o filho que era extremamente grosseiro e autoritário com o pai, deixando-o como um inútil, um peso para a família. Acontece que, no passado, ele caiu num golpe e deixou a família numa péssima situação financeira que segue até os dias de hoje. Por conta disso, seu filho é um homem cético, pessimista, sempre colocando o pai e o filho caçula para baixo. Isso só desperta mais a torcida por MinGi e Hyejun.

O vovô começa a reencontrar a vontade de viver quando o neto o matricula numa escola de modelos e o incentiva a tentar, mesmo com a idade que tem. 

Paralelo à isso, também tem a história de An Jeong Ha, a protagonista feminina. No início, ela é uma companhia incrível. Uma pessoa pé no chão, direta, realista, mas que também consegue acalmar ou elevar os ânimos. É uma boa ouvinte e alguém que planta aquela vontade de ficar sempre por perto.

An Jeong Ha sempre demonstra muito gosto pelo que faz.

Sua história também é cheia de altos e baixos. Vem de uma família complicada, com um pai sonhador e uma mãe bem pessimista e cruel que a ensinou duras lições sobre o amor. Com isso, ela tem medo de se envolver romanticamente com outra pessoa assim como teme passos mais largos do que suas próprias pernas. Seu maior ato de rebeldia, até então, foi abandonar o emprego de escritório e tentar a vida como maquiadora e youtuber.

Jeong Ha dá um contexto muito bonito para a maquiagem e isso é transmitido através de seus gestos com os clientes. Ela não vê a maquiagem como futilidade e sim uma espécie de carinho no ego ou uma armadura para enfrentar os desafios do dia. 

Quando ela começa a se relacionar com Hye Jun, é fofo, tem trilha sonora linda, tem certas cenas bem aesthetic! É gostoso de ver! Eles tem uma química bem legal! Enquanto eles estavam buscando por seus objetivos e sentido para a vida, era tudo lindo e maravilhoso. 

Até que no episódio 9 ou 10, Sa Hye Jun atinge o auge ao ser premiado como melhor ator do ano e…o sonho acaba. 

O sonho que deu todo errado (episódios 11 a 16)

Quando o dorama começou a focar na carreira de Sa Hye Jun e seu sucesso avassalador, ele foi, pouco a pouco, deixando os outros personagens de lado. Fosse inutilizando, sumindo ou tornando insuportável!! Depois que ele ganhou o prêmio, ficou pior ainda!! Além disso, o roteiro trouxe uma série de tabus e problemas rotineiros de modo tão raso que era irritante de assistir. Sabe quando a história quer focar em várias situações que são polêmicas e formadoras de opinião, mas faz do jeito errado só jogando e pincelando brevemente?

Pois bem, foi isso o que aconteceu! Existia um personagem estilista que era homossexual e apaixonado pelo protagonista. Ele tinha feito de tudo para que Hye Jun aceitasse seu amor e afeto, mas foi recusado. Como disse anteriormente, Hye Jun era um homem ético e não usaria dos sentimentos de alguém para avançar ao posto que desejava. Pouco tempo depois da premiação de melhor ator de seu antigo amor, o estilista cometeu suicídio e, a partir disso, começou uma onda de hate massivo para cima do protagonista. 

Acabava uma polêmica, vinha outra. Uma mais desnecessária e irritante do que a outra. 

Muito disso acontece na vida real, mas além do dorama abordar de modo raso, o raso durou vários episódios!! Era como se estivesse vendo o mesmo capítulo, só mudando a semana. Parece que esqueceram que tinham só mais 6 episódios e vários personagens para abordar e, no fim, ficou uma enrolação que não saía da mesmice e terminou cheio de lacunas.

O resultado disso foi um final aberto, alguns arcos foram só jogados – como o vovô que simplesmente sumiu e o outro amigo de Hye Jun que era fotógrafo. Ou, ainda, o próprio arco da An Jeong Ha.

Não disse que alguns personagens sumiram?

Eles sumiram com a protagonista!!! Ela virou apenas um espectro insuportável de quem era. Tomou umas decisões bem questionáveis (estou questionando todas até agora) e revelou uma personalidade que nem dava mais gosto de torcer pelo romance. Antes do último episódio, eu já não torcia para que ficassem juntos.

As expressões deles refletem meu desgosto.

Houve uma tentativa de um triângulo amoroso. Em dado momento, ela parecia ter mais química com o amigo do que com o HyeJun, mas ela mesma descartou. O Won Hae Hyo nunca teve chance. 

Para não falar que tudo foi péssimo, Won Hae Hyo descobrindo que a vida pública dele era totalmente programada pela mãe foi satisfatório. Ele começou a entender tudo o que Hye Jun tinha passado antes, quando ficava na sombra do melhor amigo. Foi interessante de ver, mas só isso também.

Conclusão:

Eu nem cheguei a comentar sobre os outros personagens, como o irmão mais velho do Sa Hye Jun ou os principais managers (agentes) da história porque se eles fizeram o que fizeram com os protagonistas, já dá para imaginar o que aconteceu com os secundários. Basicamente jogavam as ideias e não davam desfechos nenhum. Ou, quando davam, era tão superficial que tinha que voltar para entender que sim, aquele foi o desfecho. 

Como disse anteriormente, essa resenha não tem intenção de criticar os atores, mas sim um roteiro que se perdeu completamente.

Fico bem aborrecida quando vejo uma história com potencial se perdendo assim. Não era nem questão da história ser ruim do início ao fim. Era muito legal, mas perdeu a mão, o destino…Até a OST que era muito boa, ficou bem apagada no fim das contas.

Foi uma despedida agridoce do Park Bo Gum, mas espero que ele retorne com trabalhos melhores, porque ele é um ator sensacional. Desejo o mesmo para Park So Dam, porque depois de participar do Oscar com o premiado filme Parasita, ela merecia mais do que uma personagem que simplesmente foi anulada na história.

O que ver para melhorar o humor depois disso?

Lutando Pelo Meu Caminho e Itaewon Class. Ambos são protagonizados por Park Seo Joon e, inclusive, Park Bo Gum faz um cameo em Itaewon Class. Uma curiosidade divertida é que Park Seo Joon também foi um cameo de Passarela dos Sonhos e participou do último episódio que foi realmente bom! Seu cameo era um ex-modelo que também se tornou ator, sendo veterano, amigo e inspiração do protagonista.

Mas e você? Viu Passarela dos Sonhos e…gostou? Não gostou? Comente o quanto quiser que é sempre bom ouvir vários pontos de vista! Não tem problema nenhum discordar da minha opinião. 

⭐
⭐
⭐

Nota: ⭐️⭐️⭐️

8 comentários em “[Resenha] Passarela de Sonhos: O sonho que deu (quase) todo errado

Adicione o seu

  1. Olá, primeiro quero elogiar seu trabalho incrível, gosto demais como vc escreve.
    concordo demais com sua avaliação de passarela dos sonhos, que final decepcionante, fiquei muito frustrada, uma atuação tão boa dos atores que se perdeu no meio e a minha impressão é que os dois últimos capítulos destruiu meu sonho de passarela.
    Adoro Park Bo Gum, eu amei a série Encontro, ele está maravilhoso!!!
    Mas é isso aí, mesmo assim valeu assistir.
    Mais uma vez parabéns pelo seu trabalho! Virei sua fã.🥂✨

    Curtido por 1 pessoa

    1. Poxa!!!! Muito obrigada pelos elogios!!!
      Ganhei meu dia com o seu comentário! Muito, muito obrigada!

      Sobre o Passarelas: difícil, né? Ainda hoje me aborreço quando lembro!! Mas pelo menos os atores deram seu melhor, isso não podemos negar!
      Ainda não assisti ao dorama Encontro, mas está na minha listinha! Quando assistir, farei uma resenha dele também!

      Fico feliz que goste do blog! Escrevemos tudo com bastante carinho!

      Curtir

  2. Quando vi que ia ser roteiro da mesma autora do Temperature of Love, já torci o nariz. Achei que ia assistir depois, mas agora estou vendo que passarei longe hahaha.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Isso é algo que acontece com certa frequência (pelo menos nos doramas que eu assisto). O enredo começa bom, com bons diálogos e bons personagens… Daí lá pro episódio 8/9 tudo começa a ir ladeira abaixo. É incrível a quantidade de doramas que eu já abandonei nessa faixa. Ainda não vi esse, mas parece que vai ser a mesma coisa.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ai, nony…Eu bem te entendo. Não sei o que acontece na meiuca de alguns doramas. Sério, é uma decepção!

      No entanto, tô percebendo que os doramas de sábado e domingo são os melhores. Recomendamos muitíssimo o It’s okay no to be okay (melhor dorama do ano, na nossa opinião) que já está todinho na Netflix.

      Atualmente, Start Up (Apostando Alto) com a Suzy e o Nam Joohyuk tem sido um alento pro coração. É muito legal e, em breve, tem resenha. Ele passa todo sábado e domingo na Netflix, mas está em andamento!

      Mas no estilo do que Passarela dos sonhos queria ser, tem Lutando por minha vida e Itaewon Class!

      Curtir

  4. Eu gostei muito da sua resenha e com ela consegui perceber algumas coisas que não tinha percebido antes. A minha impressão foi quase a mesma que a sua, no inicio é uma novela que te prende mas que no final acaba sendo um pouco desgastante.
    Nesse dorama é utilizada uma técnica chamada foreshadowing (é um truque narrativo que o autor coloca fragmentos de partes da história que ainda estão por vir em algumas cenas, mas a intenção é que o público não perceba), porém acho que acaba dando uma confusão na nossa cabeça para associar as cenas rsrs.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ooi, Julia! Muito obrigada pelo seu comentário. Fico feliz que tenha gostado da minha resenha!

      Esse detalhe do truque narrativo foi algo que considerei citar também, mas acabei deixando de fora. Foi ótimo você comentar!

      Eu acho que houve um excesso dessa técnica. É muito legal mostrar o ponto de vista de outro personagem e o que estava por trás daquela cena. Em alguns momentos, eu achei bacana. Porém, ficou tão repetitivo que a gente sabia que o episódio par começaria mostrando o que aconteceu antes de uma cena ou evento sério.

      Mas como tudo o que envolveu o andamento desse dorama, foi excessivamente chato e sem desfecho

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: