Resenhas de Kdrama

[Resenha] Extracurricular: série adolescente da Netflix retrata submundo do crime em escola

Extracurricular (2020) é uma série coreana do Netflix de 10 episódios frenéticos que aborda o submundo escolar e que já está aprontando sua segunda temporada.  Sinopse: Oh Ji Soo parece ser um exemplar aluno que nunca criou problemas, mas secretamente lidera um grupo criminoso. Seus problemas começam quando uma colega de sala descobre seu segredo.

Os dez episódios passam tão rapidamente que é difícil não falar em spoilers, mas isso é uma ótima característica da série: dá para ver rapidinho e ficar entretido com cada um.

Se você ficou com medo por causa do trailer, achei a edição mais pesada do que a série em si – mas é bastante gráfica, tem muito sangue e violência, além de ter o tema da prostituição.

É boa mesmo?

Fui esperando assistir a um tipo de submundo de adolescentes geniais com planos maquiavélicos se engalfinhando ao estilo Death Note, mas na verdade a historia está mais ou menos na linha da série ELITE, só que mais sombria e sem a parte da pegação.

A proposta é mais discutir o capitalismo, a ganância, as escolhas moralmente questionáveis de uma vítima que é, ao mesmo tempo, o “vilão”. Quando você tenta dar passos maiores do que as pernas em um mundo de trapaceiros, sempre existirá alguém mais malandro. Essa dinâmica de não vangloriar nem condenar ninguém é ótima, pois acaba se tornando mais realista do que a premissa.

Afinal, o que acontece quando adolescentes querem ultrapassar os limites de sua rebeldia – e por que eles fazem isso? Será que não tinham escolhas? Que motivos os levaram a tomar aquelas atitudes? É uma “tragédia anunciada” ou vale um momento de glória que poucos poderiam ter? As consequências são deliciosas de assistir. Será que o pequeno império seguro de Jisoo terá uma queda brusca? Teria ele uma ascensão e onde poderia chegar?

A curiosidade é instigada até o final com uma boa direção de Kim Jin Min, (que impressionantemente dirigiu o péssimo O Mentiroso e Seu Amor, mas esteve envolvido em outros títulos como Undercover e Lawless Lawyer). O roteiro é do novato Jin Han Sae, conhecido por ser filho da roteirista Song Ji-na, que escreveu umas das mais bem sucedidas séries coreanas de todos os tempos: Eyes of Dawn e Sandglass. Muito promissor!

É uma serie pesada, sobre prostituição e submundo do crime nas mãos de um adolescente inteligente, mas um tanto covarde, que acaba se deslumbrando por uma jovem ambiciosa que deseja ser mais do que ela é – uma personagem feminina da linha das “loucas poderosas” muito inspiradora e distante de todas as adolescentes de doramas que já vi. O elenco é bem interessante. Gostei muito dos três protagonistas, especialmente as meninas. Gosto da ambição da Gyuri e do grau de inocência da Min Hee. A imperfeição de personagens sempre me chama a atenção e aqui tem isso de sobra.

Os jovens talentos chamam a atenção. Kim Dong Hee fez Itaewon Class e SKY Castle. Park Joo Hyun esteve em A Piece of Your Mind, Zombie Detective. E a Jung Da Bin tem o maior currículo deles, sendo atriz desde criança e no ar com Live On (“Dependendo”). Já o “tio”, que é personagem favoritos de muitos, foi feito pelo Choi Min Soo (que trabalhou com esse diretor em O Mentiroso e Seu Amor, e Lawless Lawyer; ele também é principal de Happy Ending, que passa dublado na TV aberta)

Enfim, por sua abordagem única e tempo de duração curtinho não tenho motivos para não dizer para que você assista, EXCETO SE você tiver problema com sangue, violência e algum dos temas criminosos que podem lhe dar gatilho. No entanto, o trailer assusta muito mais do que a série toda – e eu demorei um tempão para ver por medo de ter crise de ansiedade.

O final vai sendo cantado desde o começo, mas não tem episódio chato. É certamente um drama muito diferente. Uma segunda temporada foi confirmada, o que parte de mim acha uma pena, porque essa tendência de ocidentalizar temporadas só pra entregar mais conteúdo não sei se vai funcionar com Extracurricular. Podia acabar ali. O tema é bom, mas me preocupa forçar a barra. Por outro lado, dez episódios foram tão curtinhos que acho que existe uma sede para ver mais do que o autor é capaz.

Pode por na lista!

Nota: ⭐⭐⭐⭐

Dublagem

Essa é um dos doramas da Netflix dublados em português e gosto de comentar esses detalhes quando possível pois muitas pessoas preferem dublado – e eu não acho que o hate à dublagem leva a nada, especialmente quando o trabalho é tecnicamente bom e traz novas audiências.

Aqui todas as vozes foram bem escaladas, mas a pronúncia de nomes soa estranha. Jisoo do nada virou GÍ ÇO (O fonema mais forte no final, “Gi/Di SÚ” soaria melhor). Tae (Tê) virou Tai, Bae virou ‘bai’…  Alguns dá para entender quando há mudança para evitar cacofonia (exemplo clássico do mundo dos animes, a Kagome, do Inuyasha, virou Agome), mas eu senti que não foi o caso aqui não.

Um áudio guia feito por uma professora do ramo nas mãos do diretor faria uma diferença incrível. É uma pena, porque toda a adaptação de gírias está fantástica! Extracurricular flui em português muito bem, a atuação está natural, com as intenções certas, ambientando do jeito correto, os personagens ficaram críveis. Show de bola.

Enfim, acho que cada vez deve melhorar. Já está melhor do que Primeira Vez Amor – que tinha erros desde nomes de comidas até o conceito de acrescentar as sílabas no final dos nomes como forma de carinho. Então pode ver em português sim que está legal.

O que ver a seguir?

O tailandês Garota de Fora é tipo uma versão sobrenatural de Extracurricular, mas com uma atuação bem inferior – é visivelmente mais tosquinho, além de parecer uma total sátira bem escrachada, mas é uma recomendação válida.

Se ainda não viu Parasita, o tão falado filme que ganhou Oscar, está na hora de colocar na listinha também.

Por último, os doraminhas que o Kim Dong Hee já fez antes são ótimos: Itaewon Class e SKY Castle.

2 comentários

  1. Esse dorama seria um 10/10 SE não fosse o final aberto. Sinceramente, fiquei muito decepcionada depois que dediquei 10 horas para acompanhar a vida daqueles personagens para, no final, não saber o que aconteceu com absolutamente NENHUM DELES. Literalmente nenhum. Quem morreu, viveu, fugiu, foi preso? É totalmente vazio e, na boa, não precisava ter sido assim. Enfim, exceto pelos 5 minutos finais, tudo valeu muito a pena. É realmente excelente e superou todas as expectativas que eu tinha.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: