[Resenha]: Second 20s um dorama sobre machismo e amadurecimento

“Second Time Twenty Years Old”, também conhecido como “Twenty Again”/ “20 anos novamente”, é um kdrama de 2015 que é simplesmente uma grande obra e é um dos motivos por eu ter me apaixonado por dramas.

A história é madura e o resumo que me fez assisti-la é o seguinte:  Ha No Ra engravidou na adolescência e largou seus sonhos e estudos para dedicar-se ao escroto do marido e seu filho mimado imbecil.  Aos 40 anos, ela agora enfrenta um divórcio e o completo descaso de ambos, que a tratam muito mal. Ela decide entrar em uma faculdade para melhorar pelo marido, mas lá ela acaba se deparando com elementos do passado e se redescobrindo como mulher e aprendendo a reconquistar o tempo perdido e sua liberdade.

Twenty Again é a jornada de uma pessoa estagnada no tempo e é uma explosão de encorajamento para qualquer um que esteja passando por uma fase difícil na vida.
Se você acha que a sua vida é péssima e que perdeu muito tempo ou está velho demais para alguma coisa, este drama é para você. Comece agora!

Pontos negativos…

Como nada pode ser perfeito, Twenty Again também tem alguns defeitinhos, mas que em nada tornam a série menos aproveitável. São detalhes que dariam vida para os episódios.

O primeiro deles é uma reclamação recorrente. Entendo que seja uma diferença cultural, mas não consigo aceitar a ausência de uma ceninha especial, mesmo que simbólica indicando que houve uma relação mais íntima entre os personagens. No caso de Twenty Again, a idade dos personagens praticamente exige que exista uma postura mais adulta sobre beijos e sexo, então é um tanto frustrante.

Falando em decepção, os dois últimos episódios são bem assustadores na queda de qualidade do roteiro. São corridos e forçam um plot-twist para deixar o espectador apreensivo, mas acaba apenas deixando o público irritado. Há uma quebra na maturidade da personagem: por que simplesmente não deixou suas intenções explícitas? Por causa disso, o último episódio acaba prejudicado e segue uma linha mais tradicional de roteiro. Tenho certeza que muitos fãs gostariam de ter assistido a um último episódio mais colorido, comentando sobre a vida “pós-eventos”, do que uma reconciliação de última hora.

O último ponto que muitos que assistem esse drama comentam é que não existe uma explicação muito convincente para a existência da história do casal formado pelo Minsoo (Kim Min-jae)  e  HyeMi (Son Naeun, do A Pink).  A Naeun é linda, mas é uma atriz muito fraquinha e a personagem não ajuda nem um pouco.  Há momentos que você torce para acabar logo o draminha adolescente, que acaba meio sem espaço em uma história tão bonita.

Vale a pena?

Indico até para quem procura um grande kdrama para apresentar para a mãe ou alguém que nunca assistiu drama asiático. Apesar de possuir muitas referências culturais (como o sistema educacional e a pressão em volta dele), não é muito difícil de se relacionar, especialmente as brasileiras que muitas vezes se submetem a relacionamentos abusivos como o retratado.

É revoltante e apaixonante do começo ao fim.

A história é madura, porém doce. Não tem dramas exagerados, temos realidade e uma conclusão justa e factível. É realmente uma história construída em torno de uma personagem adorável, que crescerá sustentada por (quase todas as pequenas) subtramas.

Não existem vilões de novela mexicana aqui. Todos os personagens são humanos, com falhas (algumas praticamente imperdoáveis) e alguns acertos, paixões e motivações. Isso torna a história mais humana e próxima de nós, fazendo com que seja aplicável em nossas vidas.

Ver o desabrochar de Ha No Ra pode realmente melhorar algo dentro de você. É uma lição para aceitar a si mesmo e descobrir o que há de melhor, além de não fazer nada simplesmente para agradar os outros.

Inesquecíveis do elenco

O brilho é completo para o casal principal.
Lee Sang Yoon está apaixonante. Um sunbaenim maravilhoso. Covinhas lindas.  Cha Hyun-seok também é um personagem muito interessante.

Choi Ji Woo também transmite todos os momentos de transição de Ha No Ra, fazendo com que você se relacione muito rapidamente à personagem. Ponto para eles!
P.S.: é incrível como o elenco da adolescência foi bem caracterizado como os personagens mais velhos. Alguns se parecem muito!


Trilha sonora

A música de abertura vai grudar na sua cabeça para sempre, prepare-se.

Sem muito destaque para a trilha instrumental, temos, por outro lado, canções muito bonitas e doces, mas nenhuma traduz tão bem o clima da série como “Oh You Yeah You”  – Yoo Sung Eun.
Escute e pode decidir por ela se quer assistir ou não:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: