[Resenha] Moon Embracing the Sun: drama de época clássico recomendadíssimo!

Moon Embracing the Sun é um drama de época clássico exibido em 2012 pela MBC. Com 20 episódios, é uma adaptação da novela de Jung Eun Gwol (autora do bestseller que também foi adaptado em dorama Sungkyunkwan Scandal) e conta a história de amor em Joseon entre um homem destinado a ser rei e uma mulher destinada a ser rainha. Porém, ela nasceu na mesma época em que outra garota destinada a ser rainha, mas como a lua no céu, somente uma pode existir.

Recheado de intrigas, com co-autoria da autora Jin Soo Wan (roteirista de Kill Me, Heal Me e Chicago Typewriter), este drama é um novelão de época obrigatório para amantes de sageuk (drama de época) e saudosos de Scarlet Heart Ryeo, já que muitos começaram por aí. A história começa com uma jovem xamã testemunhando o assassinato de um dos filhos do rei para evitar que ele assumisse o trono. Ela foge e é protegida por uma mulher nobre grávida. A xamã intui que a bebê terá um destino na nobreza e, em retribuição, ela promete proteger a filha dela mesmo após sua morte, passando essa obrigação para sua sucessora.

Os anos passam e a jovem Heo Yeon Woo (Kim Yoo Jung, na infância, e Han Ga In, mais tarde) visita o palácio para uma cerimônia e acaba conhecendo o príncipe rebelde Lee Hwon (Yeo Jin goo e Kim Soo Hyun). Os dois se apaixonam, mas o primeiro-ministro Yoon (Kim Eung Soo), envolvido na morte do primeiro príncipe, também deseja se tornar influente no palácio e, por isso, envia sua filha, Bo Kyung (Kim So Hyun e Kim Min Seo), para ficar mais próxima do príncipe.

As fadinhas quando crianças: Kim So Hyun, Jin Ji Hee e Kim Yoo Jung

Yeon Woo e Bo Kyung tornam-se acompanhantes da princesa Min Hwa (Jin Ji Hee e Nam Bo Ra). Bo Kyung logo sente ciúmes do carisma e desempenho de Yeon Woo, sendo constantemente cobrada pelo pai para competir e vencer a menina, enquanto ela naturalmente se destaca e ganha o coração do príncipe.

Nesse rolo temos também o irmão de Yeon Woo, que torna-se o tutor do príncipe, e o meio-irmão do príncipe, Yang Myung (Lee Min Ho, Jung Il woo), que se apaixona também por Yeon Woo.

Para ganhar o coração do príncipe, são enviadas propostas para todas as moças da vila para que participem de uma série de provas de etiqueta e conhecimento, mas há uma condição: todas aquelas que se propõe a tornar-se mulheres do rei automaticamente são proibidas de se casarem, por serem consideradas “propriedades do rei”, mesmo se não forem escolhidas para rainha – o que torna uma derrota muito marcante na vida das moças.

Yeon Woo ganha a disputa, mas isso vai contra os desejos da Rainha Dowager (Kim Young Ae) e ela arruma um plano para destruir a garota. Por sorte, a xamã Nok Yeong (Jeon Mi Seon) ainda lembra-se de sua promessa e arma um plano para salvar a menina.

No entanto, seu plano faz com que a menina perca completamente sua identidade e morra para o mundo, inclusive sua família. Anos depois, Yeon Woo é uma xamã sem nome e sem memórias, que acaba de volta ao palácio para ajudar o problemático rei Lee Hwon, que recusa-se a ter um filho com sua rainha Bo Kyung e é perturbado por pesadelos pela eterna falta que sua ex-rainha lhe faz.

A partir daí começa uma jornada dos dois desconhecidos por reencontros e descobertas, até apaixonarem mais uma vez, enfrentando novamente toda a trama ardilosa de pessoas contra eles e provando que o amor deles estava selado pelo destino.

É muito sofrimento numa criaturinha só

Moon Embracing The Sun é uma linda história de amor bastante tradicional que traz os melhores acontecimentos do gênero, com uma boa dose de fantasia (aborda magia e xamanismo), romance, drama e músicas carregadas de emoção.

Os personagens são adoráveis, tanto na infância quanto na vida adulta, mas há quem queira pular os quatro primeiro episódios e a mudança da protagonista é muito brusca. Ga In não atua tão bem e é carregada por seu par de cena. Achei a atuação dos pequenos talentos que hoje são pérolas jovens consagradas muito encantadora e é belo ver o dorama que os lapidou para os dias de hoje.

A trama política é muito bem trabalhada e o mais legal desse drama é que o mocinho não é burro. Pelo contrário, ele é um excelente jogador e um rei pelo qual nós torcemos. Além disso, ele é muito sedutor e confiante, um dos poucos reis de sageuk que ganharam minha simpatia. Ah, ele não é um herói santo, longe disso: ele é egoísta, explosivo e paranóico, mas está prestes a recuperar o que o tornou assim.

Kim Soo Hyun em um de seus melhores trabalhos

Já a mocinha era muito mais interessante na infância, mas ela tem uma dignidade inabalável quando adulta que acho que também tem bastante mérito.

Os dois grandes vilões da trama são odiosos, com um trabalho fantástico: a rainha avó e o primeiro-ministro são dois grandes desgraçados que você odeia com todas as forças. É realmente um trabalho muito bem feito.

A xamã mestre interpretada por Jeon Mi Sun é uma personagem complexa, que ora você odeia, ora você torce, mas você compreende que está em uma posição complicada.

Temos também a Min Hwa, que é uma fedelha irritante do começo ao fim, mas que você acaba sentindo pena e ódio ao mesmo tempo.

Sei que muitos vão assistir pelo meio-irmão do rei e só tenho uma coisa a dizer: LAMENTO. Sério, ele é o personagem mais azarado que já conheci em todos os doramas. Coitado. De verdade, é muito triste ver sua trajetória. Eu. Avisei.

Yoon Seung Ah: alguém abraça essa menina, por favor 😦

Outros dois destaques: a ex-escrava Sul (Yoon Seung Ah) , que também é uma das personagens mais sofridas de todo o dorama e que merecia MUITO MAIS, e o guarda-costas Woon (Song Jae Rim), que traz toda a simbologia de fidelidade e brotherhood que você espera.

O verdadeiro ship de muita gente

São 20 episódios com um bom ritmo, mas que poderiam ser contados em 16. A trama tem mecanismos para te prender além do romance e traz momentos de grudar na cadeira e ranger os dentes.

Porém, se você tem um trauma profundo de dramas de época desde Scarletficina Heart Ryeo, saiba que apesar de torturas e planos maléficos, o drama tenta ser uma fantasia romântica, com a prevalência do bem sobre o mal e nunca esconde isso – exceto para os secundários. Esses sofrem mesmo.

Assistir isso quase uma década depois tem sim alguns pontos de atenção, mas o drama ainda não ficou datado, sendo um dos grandes clássicos premiados (Premiação MBC: melhor drama, melhor ator, atriz, melhores atrizes e atores mirins, e melhor script) de todos os tempos.

Drama: The Moon Embracing The Sun (Moon That Embraces The Sun; Lua Abraçando o Sol)
Romanização: Haereul Poomeun Dal
Hangul: 해를 품은 달
Diretor: Kim Do Hoon, Lee Sung Joon
Autores: Jung Eun Gwol (novel), Jin Soo Wan
Emissora: MBC
Episódios: 20
Exibição: 2 de Janeiro a 15 de março de 2012, às quartas e quintas, 21:55-23:05
Gênero: Época / Sageuk / Romance


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: