Resenhas de Kdrama

Entenda a história real por trás de “Em Silêncio”, filme chocante do diretor de Round 6

Depois do tremendo sucesso de Round 6/Squid Game, a Netflix trouxe para o catálogo outras obras do diretor Hwang Dong Hyuk. Entre elas, “Silenced”, baseado em uma revoltante história de casos de abusos sexuais e outras atrocidades cometidas por professores de uma escola para crianças com deficiência auditiva.

No elenco, temos o Gong Yoo, de Goblin e também de Squid Game/Round 6, na pele do professor novato e impotente diante dos casos. A seu lado, a funcionária de direitos humanos Jung Yu Mi (Enfermeira Exorcista). Uma curiosidade sobre o elenco mirim: a atriz Kim Hyun Soo, a Seola de A Cobertura/Penthouse, foi a corajosa Yeon Du, em uma performance tocante e memorável.

Logo de cara já aviso: a história é forte e aconteceu de verdade, então não é para qualquer um. As cenas são explícitas, chocantes e o desenrolar é revoltante. Tudo fica ainda pior quando lembramos que isso foi um caso de polícia em Gwangju.

O que aconteceu de verdade?

O colégio Gwangju Inhwa funcionava desde 1961 na cidade de Gwanju, voltado para alunos com deficiência auditiva. Em 1993 eles expandiram e inauguraram um colégio. Um professor recém contratado notou os abusos contra as crianças e mobilizar uma investigação, mas esta só começou quatro meses depois, quando as vítimas conversaram com um canal de TV. A polícia concluiu que entre os anos 2000 e 2003 cerca de seis membros do corpo docente da escola (entre professores e até o diretor – filho do fundado do colégio) estupraram pelo menos nove alunos – esse foi o número que aceitou depor, mas pode haver mais vítimas.

Mesmo após provadas as agressões, dois dos agressores foram libertados pois seus crimes já haviam prescrito. O diretor foi inicialmente condenado a cinco anos de prisão, mas a defesa recorreu e, no fim, eles tiveram que pagar uma multa de 3 milhões de wons (na cotação de hoje, 14 mil reais) e puderam sair em liberdade condicional. O restante que acabou preso foi solto menos de um 1 ano depois e quatro dos professores foram reintegrados à equipe da escola.

O verdadeiro impacto do filme Em Silêncio

Na época, a mídia não repercutiu o caso, ficando por conta de manifestantes e defensores dos direitos humanos. Em 2009, a escritora Gong Ji Young publicou um livro baseado nessa história, e o diretor Hwang Dong Hyuk a levou para as telas de cinema em 2011, atraindo 4,7 milhões de espectadores e um novo debate sobre o tema. A discussão foi reerguida e a investigação, reaberta. Vários relatos absurdos foram revelados, como os espancamentos e torturas. Foi descoberto que um professor que teria desenhado duas alunas nuas inclusive estava lecionando arte em outra escola.

Graças ao filme, a escola foi finalmente fechada e a população exigiu mudanças na legislação. A Lei “Dogani” (nome coreano do filme) foi criada para rever o estatuto de limitações para crimes sexuais contra crianças menores de 13 anos e mulheres com deficiência e aumentar a pena máxima para prisão perpétua.

Mais do que um relato, “Em Silêncio” é um manifesto, um ato de protesto e mostra o poder da arte como forma de expressão. Seu lançamento trouxe à luz um caso ignorado pela justiça por mais de uma década. E, como tal, eu já recomendo totalmente só por esse fato.

Mas o filme é bom mesmo?

Talvez você precise parar para tomar um ar. É muito denso e não tem medo de expor em detalhes o que teria acontecido naquela escola. Portanto, veja sabendo que é capaz de provocar gatilhos e um mal-estar. Enquanto filme, achei excelente. Esse diretor tem “a mão” da crítica social. Fico ansiosa para ver mais trabalhos dele.

O que me impressionou mesmo foram os talentos mirins. Não imaginaria atores tão jovens nesse papel, acho que isso faz chocar mais ainda, pois na vida, não eram atores que passaram por isso, mas pessoas reais…

E você, já assistiu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: